domingo, 9 de março de 2014

Sobre a contra parte Qlippotica da Arvore da vida e sua manifestação no Ego. - Parte 1: Teoria.



O sistema da Kabbalah é muito extenso, muito precioso para o buscador.

Primeiro, vou começar escrevendo sobre a minha teoria e conclusão sobre a multi personalidade que possui a individualidade.

Em meu tempo de estudos dos livros de psicologia do Samael Aun Weor, e dos livros de psicologia do Psicanalista Carl Jung, tomei conhecimento  dos  agregados psíquicos, dos eus, criações mentais, apegos, o múltiplo um e suas criações, quando expressamos nosso ser, o fazemos a nível individual, seja com a voz ou com gestos, é uma escolha, em frente a outras pessoas ou não, estamos exibindo comportamentos condizendo com a opinião de muitos valores internos ao mesmo tempo, que se interligam com a realidade externa, isto tudo se passa ‘inconsciente’ para as pessoas que não dão atenção ao que se passa dentro de si e ao seu redor, estas opiniões/valores/apegos possuem gatilhos emocionais, seus combustíveis são as emoções características da necessidade de existência deles mesmos, tal como a cidade e a população.

Então, para te conhecer, apenas pergunto.
Você ai, porque não desiste de tudo?

Quem já assistiu Matrix vai entender, cada Eu é uma possibilidade, uma identificação, como nas dezenas de telas da sala do Arquiteto, Neo respondia de dezenas de maneiras diferentes, mas somente uma tela correspondia ao Escolhido.

Usando a analogia da cidade e a população, a cidade é o macrocosmo (a individualidade psicológica), e a população o microcosmo (Os Agregados Psíquicos), assim em cima como embaixo, digamos que dentro da sua mente, ocorrem eleições a escolhido, e quando te fazem uma pergunta ou quando você precisa agir, nasce um escolhido na mesma hora, dentro do microcosmo, este escolhido representa todos os eus se esforçando para a criação de um ser ideal para a situação, é uma identificação, como se elegessem um prefeito para representar a cidade, entendeu??

E se existe corrupção no seu governo, a culpa é sua!

Agora, vou explicar como a dualidade e a kabbalah, tem sua essência compartilhada na criação dos eus.
Certamente alguém poderia pensar= Eu não gosto daquela pessoa, ela é tal, ela faz tal, ela é do mal.Também podem pensar = Gosto dela, ela é tal, ela faz tal, ela é boa de coração.Percebem? É a vontade de cada personalidade em si, o que há entre o bem e o mal. A origem do mal esta nas forças conflitantes. A origem do bem esta na União. Como podemos obter união, quando há pessoas/sentimentos/ideias/razões se contra dizendo?

Como podemos nós concentrar e usar nossa verdadeira vontade, quando temos um monte de gente dentro de nós reclamando seus desejos? Sem vontade não há magia, sem concentração não há vontade, e sem individualidade não há concentração.

Nos processos meditativos, nós concentramos em silencio, em aversão ao ego, em luz, a luz ilumina a escuridão dispersa da multiplicidade psicológica, não é uma eleição, é o não ser.

Dentro de nós existem Eus Sephiroticos, e Eus Qlippoticos, é muito simples, a maneira como eles se relacionam. Sabe o conto budista, no qual buda teve que enfrentar um exercito de demônios para obter iluminação? E como ele transformou os ataques demoníacos em pétalas de Lótus, que simboliza perfeição?
Ou então quando Jesus foi curar o Geraseno?

Lá, um homem possuído por espíritos malignos saiu das cavernas para encontrá-lo. Ninguém foi capaz de prendê-lo, nem mesmo com uma corrente, pois não havia ninguém forte o suficiente para dominá-lo. Ele passava noite e dia rondando pelo cemitério e nas colinas, gritando e se cortando com pedras. Quando Jesus o viu, à distância, ele correu e caiu de joelhos à sua frente. E ele gritou a plenos pulmões: "Que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Por Deus te conjuro que não me atormentes.", ao que Jesus respondeu-lhe: "Qual é o teu nome?". "Legião é o meu nome, porque somos muitos.". Os espíritos malígnos então imploraram para que não fossem expulsos da região.


*Pra quem não sabe, Jesus é sinonimo de Yeshua, que é a abreviação de YOD-HEH-SHIN-VAU-HE Um mantra de dominação dos 5 elementos em Hebraico YOD(fogo), HEH(agua), SHIN(eter), VAU(vento, ar) e HEH (terra), Yeshua é um nome poderoso, um mantra em si, imagina ser o portador deste nome?

Agora, vou listar as características dos Eus Qlippoticos correlacionando as Sephira correspondentes usando os números de cada uma delas, pra quem não sabe é bom ir pesquisar.

Os Conflitantes 1, Dificultadores 2, Ocultadores 3, Inúteis 0 (Daath), Fracos 4, Tiranos 5, Disputadores 6, Corrosivos 7, Mentirosos 8, Obscenos 9 e finalmente O Espirito Desgraçado da Natureza 10, assim como todas as Sephira estão em Malkuth, todas as Qlippha infelizmente formam Lilith.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...